Publicidade

Notícias

Segunda quinzena de maio deve apresentar menor volume de chuvas no Ceará

Por: verdinha às 10:55 de 16/05/2018

Foto: Reprodução/ Funceme

Foto: Reprodução/ Funceme

Apesar da primeira quinzena de maio ter apresentado fortes chuvas, a outra metade do mês não deve ter números tão altos. De acordo com a Fundação Cearense de Meteorologia e Recursos Hídricos (Funceme), isso ocorre pois o volume de nuvens da Zona de Convergência Intertropical (Zcit), que circunda a faixa equatorial do globo terrestre, começa a se afastar da costa cearense. Principal responsável pelas chuvas no estado, a banda de nuvens, ao se deslocar, deve contribuir com a diminuição de precipitações no Ceará. Vale ressaltar que, apesar disso, é possível a ocorrência de chuvas isoladas, que podem ser trazidas por instabilidades.

Ainda de acordo com a fundação, alterações em condições meteorológicas do Oceano Atlântico, como mudanças na temperatura do mar, contribuem com o afastamento da Zcit nesse período do ano.

O Ceará dependerá, nos próximos meses, de instabilidades oriundas do leste do Nordeste. Além disso, o Cavado de Altos Níveis (CAN), que funciona como complemento ao Zcit, pode começar a interferir no quadro climático do Ceará, mas com efeitos temporários, podendo trazer chuvas esporádicas.

La Niña

O La Niña é apontado como um dos grandes influenciadores para as chuvas no Ceará. O fenômeno, porém, chegou ao fim no Oceano Pacífico, de acordo com o último boletim da Agência Americana de Meteorologia e Oceanografia (NOAA), divulgado no dia 10 de maio.

No Nordeste, as ocorrências serão regulares e moderadas até o dia 21 de maio. Nos estados do Ceará e Maranhão, por exemplo, os volumes chuvosos podem variar de 20mm a 50mm, com destaque para litoral e norte dos estados.

Primeira quinzena

Dados ainda preliminares do Calendário de Chuvas do Ceará mostram que os primeiros 15 dias de maio registraram 42,4 mm de volume chuvoso. A média histórica para o mês é de 90,6 mm, o que não foi alcançado nos últimos quatro anos. O último mês de maio a apresentar índices superiores foi o de 2013, que mostrou desvio positivo de 1,8, ao registrar 92,2 mm de chuvas acumuladas.

Próximos meses

De acordo com o Centro de Previsão de Tempo e Estudos Climáticos (Cptec), do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (Inpe), no período entre maio e julho, há 40% de probabilidade de chuvas abaixo da média no leste e no norte do Nordeste.

A maior preocupação com a diminuição de frequência das chuvas é o nivel dos reservatórios estaduais. No Ceará, 18 reservatórios estão sangrando, enquanto 28 possuem mais de 90% da capacidade. 83, porém, têm menos de 30% de volume ocupado. Maior reservatório do Ceará, o Castanhão possui 8,7% da capacidade total.

Comentar

Identificação

Se estiver com pressa, conecte-se a uma dessas redes para preencher seu cadastro.


Comentários(0)