Publicidade

Notícias

Dengue e chikungunya causaram 139 mortes na Capital

Por: verdinha às 16:38 de 18/12/2017

Foto: Nah Jereissati

Foto: Nah Jereissati

O Boletim Epidemiológico da Secretaria de Saúde da Capital (SMS) divulgou que uma média de 11 pessoas morreram a cada mês em Fortaleza vítimas de dengue e chikungunya, entre janeiro e início de dezembro nesse ano. A primeira doença acometeu 14 pessoas, já a segunda 125, totalizando 139 óbitos. Até o momento foram registrados quase 70 mil casos das doenças, confirmados por exames laboratoriais.

Houve um aumento dos casos de chikungunya de 221% em relação aos ocorrências de 2016, que contabilizou 17.5 mil casos da doença. Até agora, a Taxa de Incidência (TI) acumulada até a 49ª semana epidemiológica (8 de dezembro) é de 2.150,3 casos por 100 mil habitantes, que é considerada muito alta.

Entre todos os casos, 67,1% deles foram registrados entre a população adulta e ativa, 20 a 59 anos de idade, 16,3% entre pessoas de 60 anos ou mais, 11,7% entre adolescentes (10 aos 19 anos) e crianças (0 a 9 anos) o número foi 5%.

Em relação aos óbitos suspeitos, 79,1% (110 dos casos) deles ocorreram entre abril e junho. Já se tratando de idade, 85,6% ou 119 casos foram registrados em a população maior de 60 anos, sendo as pessoas com mais 70 anos com maior porcentagem de óbito, 75,2%.

Áreas com mais contaminação

Dentre os casos de chikungunya, as localizações que tem o maior número de casos são: Bom Jardim (3.1 mil), Serrinha (1.8 mil), Montese (1.7 mil) e Granja Portugal (1.5 mil). Já sobre os casos de dengue, foram confirmados nesse período 13.3 mil casos e 14 óbitos. Os bairros com maior número de infectados foram: Bom Jardim (651), Granja Portugal (563) e Conjunto Ceará I (512).

 

Comentar

Identificação

Se estiver com pressa, conecte-se a uma dessas redes para preencher seu cadastro.


Comentários(0)