Notícia

IDT abre 150 vagas para auxiliar de produção em Fortaleza

Por: verdinha às 15:43 de 19/09/2014

Foto: Wellington Macêdo/  Diário do Nordeste

Foto: Wellington Macêdo/ Diário do Nordeste

O Instituto de Desenvolvimento do Trabalho (SINE/IDT) está com 150 vagas abertas para quem deseja trabalhar como auxiliar de produção na empresa Grandene.

Com ou sem experiência na área, os interessados precisam ter concluído o Ensino Fundamental ou Médio e morar, preferivelmente, nos bairros de Messejana, Parangaba, Barra do Ceará ou no município de Caucaia.

Para se inscrever, o candidato precisa se dirigir à Unidade do SINE/IDT da Barra do Ceará, munidos com a seguinte documentação:

- Carteira de Identidade
- CPF
- Título de Eleitor
- Comprovante de Escolaridade
- Carteira de Reservista
- Currículo

Os interessados também podem agendar seu atendimento por meio do site.

Notícia

Pesquisa do Datafolha mostra Dilma na frente com 37% das intenções de voto

Por: verdinha às 13:02 de 19/09/2014

Foto: Divulgação

Foto: Divulgação

Pesquisa Datafolha divulgada nesta quarta-feira (19) pelo jornal Folha de S. Paulo mostra a candidata à reeleição Dilma Rousseff (PT) com 37% das intenções de voto. Marina Silva (PSB) aparece com 30% e Aécio Neves (PSDB), com 17%.

Na última pesquisa do instituto, publicada no dia 11 de setembro, Dilma tinha 36% das intenções de voto, Marina, 33% e Aécio, 15%.

Em uma simulação de segundo turno entre Dilma e Marina, o instituto aponta empate técnico entre as duas candidatas: Marina Silva com 46% e Dilma com 44%.

Em um possível segundo turno entre Dilma e Aécio, a petista teria 49% das intenções de voto e o tucano, 39%.

O percentual de eleitores indecisos permanece em 7% e os que votariam em branco ou nulo, 6%.

Os demais candidatos somam 3% das intenções de voto. A margem de erro da pesquisa, feita nos dias 17 e 18 de setembro, é 2 pontos percentuais. Foram entrevistadas 5.340 pessoas em 265 municípios.

Fonte: Agência Brasil

Entretenimento

Transformista Deena Love emociona jurados na estreia do The Voice Brasil

Personagem criada por Pedro Figueiredo, Deena foi disputada pelos quatro jurados e optou pelo time de Lulu Santos

Por: verdinha às 11:55 de 19/09/2014

deena-love

Foto: Divulgação/TV Globo

Uma candidata surpreendeu público e jurados, na estreia da terceira temporada do The Voice Brasil, na última quinta-feira (18). A transformista Deena Love, criada por Pedro Figueiredo para homenagear as divas da música, conseguiu virar as quatro cadeiras dos jurados ao cantar a música “I’m Calling You”, na primeira noite de “Audições às Cegas” do programa.

> Assista à apresentação de Deena Love

“Não deve ser fácil você montar a personagem. Você constrói tão incrivelmente isso. A gente está diante de uma grande voz, de uma verdadeira personalidade”, disse Lulu Santos, que foi às lágrimas quando Deena optou por fazer parte de sua equipe.“Você honra o gênero humano. Você me honra. Bem-vinda ao The Voice Brasil”, parabenizou.

Pedro Figueiredo é cantor, compositor e percussionista, e aos 20 anos, foi cantar em cruzeiros internacionais. Em um desses trabalhos, surgiu a ideia de montar a personagem. “Eu cantava em um cruzeiro internacional e, em uma das apresentações, eu me vesti de mulher. Cantei todo o repertório com a orquestra caracterizado de Amy Winehouse”, contou o participante.

Ao deixar o palco do The Voice, Deena Love ainda brincou com a cantora Claudia Leitte. “Eu vou querer usar aquela roupa da Copa, mas antes eu vou ter que fazer uns ajustes”, disse a transformista.

Notícia

Ouça entrevistas com os quatro candidatos ao Governo do Estado na Rádio Verdes Mares

Por: verdinha às 11:15 de 19/09/2014

eleiçõesbannersite_HOMEOs quatro candidatos ao Governo do Estado do Ceará nestas Eleições 2014 foram entrevistado esta semana pela Rádio Verdes Mares. Eunício Oliveira, Eliane Novais, Camilo Santana e Aílton Lopes apresentaram estiveram no “Programa Paulo Oliveira” e apresentaram suas propostas.

A ordem dos entrevistados foi determinada por sorteio, em reunião com a assessoria de imprensa de cada candidato. Eunício Oliveira foi o primeiro, entrevistado no dia 15 de setembro. O peemedebista defendeu a realização de concurso público para a saúde, criticou as terceirizações, além do secretário de Saúde.

Ouça a entrevista completa de Eunício Oliveira:

É necessário ter a última versão do Adobe Flash Player para a visualização desse player.

Eliane Novais foi entrevista no dia 16 de setembro. A candidata afirmou que o PT perdeu a identidade no Ceará e disse que Camilo Santana responde a nove processos de improbidade administrativa. Eliane também falou sobre Marina Silva.

Ouça a entrevista completa de Eliane Novais:

É necessário ter a última versão do Adobe Flash Player para a visualização desse player.

No dia 17 de setembro, foi a vez de Paulo Oliveira entrevistar Camilo Santana. O petista expôs as propostas para a área da Segurança Pública, afirmando que irá reorganizar o programa Ronda do Quarteirão. O candidato também falou que vai apresentar uma nova forma de promoções de cargos entre os policiais.

Confira a entrevista de Camilo Santana na íntegra:

É necessário ter a última versão do Adobe Flash Player para a visualização desse player.

Ailton Lopes foi entrevistado no último dia 18. O candidato afirmou que é impossível resolver o problema da seca, gastando com o aquário que está sendo construído na Praia de Iracema. Entre as propostas apresentadas, Ailton falou sobre a gestão preventiva na Saúde.

Confira a entrevista de Ailton Lopes na íntegra:

É necessário ter a última versão do Adobe Flash Player para a visualização desse player.

Na próxima semana, a Rádio Verdes Mares inicia uma série de entrevista com os candidatos ao Senado. Raquel Dias (PSTU) será entrevista dia 22, Tasso Jereissati (PSDB) dia 23, Mauro Filho (PROS) dia 24 e Geovana Cartaxo (PSB) dia 25.

Notícia

Dilma declara que estudantes que não se dedicam ao Ciência Sem Fronteiras desmerecem o país

Por: verdinha às 10:19 de 19/09/2014

Foto: Folhapress

Foto: Folhapress

Em coletiva de imprensa no Palácio do Alvorada, a presidenta Dilma Rousseff disse que casos de estudantes que não se dedicam ao Programa Ciência sem Fronteiras (CsF) são minoria. “Os que fizerem isso são pessoas que estão desmerecendo o país, lamentavelmente”, disse Dilma, que acrescentou, “isso não é significativo em relação aos que estão lá, não é“.

Dilma referia-se à matéria publicada com exclusividade pela Agência Brasil sobre reclamação feita pela Universidade de Southampton, no Reino Unido. Um e-mail enviado aos alunos pela Science without Borders UK, parceira internacional do programa no Reino Unido, dizia que a instituição cogitou “deixar de oferecer estágios para estudantes no futuro” pela falta de dedicação dos estudantes brasileiros. O estágio é um componente central da bolsa e também um elemento obrigatório.

A presidenta também comentou a volta de estudantes que não obtiveram a nota mínima de fluência em inglês em curso financiado pelo governo no exterior. Em abril deste ano, 110 alunos foram excluídos do CsF e tiveram que voltar ao Brasil. “A universidade controla se ele está cumprindo o roteiro dele. Se não passar em inglês, volta sim para cá. Por que vai ficar lá?”

O CsF foi lançado em 2011, com o objetivo de promover a mobilidade internacional de estudantes e pesquisadores e incentivar a visita de jovens pesquisadores altamente qualificados e professores seniores ao Brasil. Oferece bolsas, prioritariamente nas áreas de ciências exatas, matemática, química, biologia, das engenharias, das áreas tecnológicas e da saúde. A meta é oferecer 101 mil bolsas até o final deste ano.

Dilma defendeu o programa, que é uma das principais ações de sua política educacional. “Uma das formas do país estreitar as diferenças entre a educação dada nos países desenvolvidos e a nossa é colocando os nossos estudantes por mérito, por mérito, para estudar no exterior. Ninguém nunca tinha colocado 101 mil estudantes no exterior”.  Antes de cumprir a meta, a presidenta anunciou uma segunda etapa do programa, que terá mais 100 mil bolsas a serem implementadas até 2018.

Fonte: Agência Brasil

Notícia

Conheça aplicativos e sites que ajudam na preparação para o Enem

Por: verdinha às 8:50 de 19/09/2014

Foto: Reprodução

Foto: Reprodução

O Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) se aproxima, nos dias 8 e 9 de novembro, milhões de estudantes irão responder às quatro provas objetivas que juntas totalizam 180 questões e mais a redação. Um conteúdo tão extenso e abrangente que não é fácil de se preparar. Por isso, qualquer alternativa extra para estudar e revisar o que pode cair na prova é muito bem vinda por qualquer candidato. Selecionamos alguns sites e aplicativos gratuitos que podem auxiliar na realização de uma boa prova.

Sites e aprender jogando

Um site que foi selecionado pelo Ministério da Educação (MEC) para os estudantes se prepararem é o Geekie Games. Elaborado para cada estudante ter o seu próprio plano de estudo personalizado, lá é possível fazer um teste que identifica os conteúdos que domina ou não e, a partir disso, são separadas aulas específicas para seu aprendizado. Depois, o candidato pode fazer novos testes e receber um novo plano de estudo. Alem disso, também estão disponíveis no site simulados nos mesmos moldes do Enem.

No site da Empresa Brasil de Comunicação (EBC) também está disponível um banco de questões. No Questões Enem o estudante encontrará as provas do Enem de 2009 a 2013 para poder treinar. O site mantém um registro do desempenho do usuário, com a quantidade de erros, acertos e o aproveitamento em cada uma das áreas de estudo (Ciências da natureza e suas tecnologias, Ciências humanas e suas tecnologias, Linguagens, códigos e suas tecnologias, Línguas Estrangeiras, Matemática e suas tecnologias). Também fica visível um ranking com os usuários com os melhores resultados.

Um site que tem a proposta de ensinar a partir do entretenimento é o Estude Jogando. A página separa os games por assunto, cada jogo incluiu uma aba com a teoria, outra com o jogo e uma terceira para o debate sobre o assunto. É necessário apenas um cadastro simples para poder jogar.

Aplicativos

screen568x568 (31)Existem diversos aplicativos que trazem bancos de questões para serem resolvidas. Além disso, alguns fazem registros dos resultados e avaliam o histórico das questões feitas. Também há aplicativos com as questões sendo resolvidas e não só a alternativa correta. Relacionamos abaixo uma lista com os aplicativos e com o link para download em cada sistema operacional:

- App Prova (para Android e iOS)

- Aprimora Enem Express (para Android e iOS)

- Ligado no Enem (para Android)

- +Questões Enem (para Android)

- Simulado ENEM Vestibular FREE (para Android)

- ENEM Free (para iOS)

- Colégio 7 de Setembro – Simulado Enem (para iOS)

- EstudaVest – ENEM e Vestibular (para Android)

- Nota 10 – Simulados ENEM (para Android)

- Pense+ (ENEM) (para Android)

- ENEM 2014 (para Android)

- Passei! ENEM (para iOS)

- Gabaritando Enem (para WindowsPhone)

Para estudar línguas estrangeiras

Foto: Reprodução

Foto: Reprodução

A parte da prova referente a linguas estrangeiras pode ser um desafio para alguns. Por isso, separamos sites e aplicativos voltados exclusivamente para esse aprendizado. O LinguaLeo é um site que personaliza os conteúdos de acordo com as necessidades do aluno. Após cadastro no site, também fica disponível o download do aplicativo com as informações.

O Duolingo também tem um site e aplicativos (para Android e iOS), porém o seu diferencial é que ele ensina inglês, português, francês, alemão, italiano e espanhol. Por fim, o Babbel (para Android e iOS), que é mais indicado para quem está começando o aprendizado do início. Os idiomas comtemplados são: inglês, alemão, espanhol, italiano, frances, sueco, turco, holandês, polonês, indonésio, norueguês, dinamarquês e russo.

Notícia

Veja o percurso da ciclofaixa de lazer que será inaugurada em Fortaleza

O percurso terá 10km de extensão partindo da ciclovia da Avenida Washington Soares até o Passeio Público, funcionando sempre aos domingos, das 7h às 13h

Por: verdinha às 19:02 de 18/09/2014

Foto: Alex Costa

Foto: Alex Costa

Para incentivar o uso de bicicletas pelos fortalezenses, a Prefeitura de Fortaleza vai inaugurar, neste domingo (21), a Ciclofaixa de Lazer. O percurso terá 10km de extensão partindo da ciclovia da Avenida Washington Soares até o Passeio Público, funcionando sempre aos domingos, das 7h às 13h.

A ciclofaixa, que integra o Plano de Ações Imediatas de Transporte e Trânsito (Paitt), terá, em seu trajeto, pontos tradicionais e turísticos da cidade, como a Praia de Iracema, Beira Mar, Centro Dragão do Mar, Mercado Central, Catedral de Fortaleza e Passeio Público, incentivando o conhecimento do patrimônio histórico da cidade.

O corredor será via de mão-dupla e contará com um esquema especial de mobilidade com a participação de vários órgãos de trânsito e transporte para garantir a segurança dos ciclistas durante a inauguração. A cada sete metros, haverá um cone, dedicando uma das faixas das ruas aos ciclistas em todo o percurso.

Além do corredor de bicicletas, a Prefeitura trará, nesta primeira edição, o Circo de Todas as Artes, parceria com a Associação dos Proprietários Artistas e Escolas de Circo do Ceará (Apaece). Os artistas estarão em seis pontos da ciclofaixa de lazer, promovendo diversas atividades.

No total, serão 115 pessoas envolvidas na operação, sendo agentes da Autarquia Municipal de Trânsito, Serviços Públicos e de Cidadania (AMC), orientadores de tráfego do Via Livre, fiscais da Empresa de Transporte Urbano de Fortaleza (Etufor), da Polícia Rodoviária Estadual (PRE) e do Departamento Estadual de Trânsito (Detran).

A Ciclofaixa de Lazer é uma faixa isolada para bicicletas e contará com três pontos de apoio: no Anfiteatro do Parque do Cocó, Aterro da Praia de Iracema e Passeio Público.

Confira o trajeto:

Foto: Divulgação

Foto: Divulgação

Notícia

Padre diz que “casamento entre católico e evangélico não dá certo” e constrange noivos durante celebração

Em Maranguape, convidados da festa e os noivos ficaram "estarrecidos" com o sermão dado pelo padre Ricardo Pimentel durante o casamento

Por: verdinha às 15:51 de 18/09/2014

Padre Ricardo Pimentel Maranguape

Foto: Arquivo Pessoal

“Um casamento entre um católico e um evangélico não tem como dar certo”. Esta foi a frase dita pelo Padre Ricardo Pimentel no momento da celebração do casamento de Jeferson, que já foi evangélico e hoje se considera cristão, e Maria Fernanda, católica, realizado no último sábado (13), na Paróquia Nossa Senhora do Rosário, em Maranguape, na Região Metropolitana de Fortaleza.

O caso revoltou os noivos, os familiares e os amigos que estavam na igreja para a celebração do casamento e que esperavam do padre apenas palavras de felicidades para o casal que estava iniciando uma nova vida juntos. O engenheiro Jeferson diz que já foi católico e evangélico. “Já fui católico e evangélico, mas hoje eu não frequento nenhuma igreja, mas me considero cristão. A minha esposa é católica e parte da família dela também. Já a maioria da minha família é evangélica, mas também tem parte católica”, explica Jeferson.

“Católico tem que casar com católico”

Com tom de indignação, Jeferson relembra as palavras do padre. “Começou a cerimônia e no início ele me surpreendeu, perguntando qual era a religião da minha esposa e qual era a minha religião. A minha esposa respondeu que era católica e eu respondi para ele duas vezes dizendo que me considerava cristão. Isso eu falei e acredito que só ele e a minha esposa escutaram porque estavam muito próximos. Eu não falei no microfone da igreja. Aí ele pronunciou no microfone: ‘Ah, ele é evangélico. Ela é católica e ele é evangélico’”.

Segundo Jeferson, “a partir daí, ele começou a falar diversas coisas do tipo: ‘Eu não acredito que pessoas de religiões diferentes devam se misturar. Católico tem que casar com católico. Evangélico tem que casar com evangélico. Quem é da macumba tem que casar com quem é da macumba’”. “Também falou que não sabia como é que nós conseguiríamos criar os nossos filhos, porque isso não podia, que não acreditava nisso, que não fazia sentido”, contou Jeferson.

A noiva Maria Fernanda disse que notou que o padre estava se tremendo no momento da celebração. “Eu já comecei a achar estranho desde o início porque ele estava ficando muito em silêncio na hora das leituras e ele estava aparentando uma raiva”, disse.

Ouça Jeferson relembrando o episódio:

É necessário ter a última versão do Adobe Flash Player para a visualização desse player.

O noivo afirma que as palavras do padre constrangeram os convidados e familiares. “Ele falou uma série de coisas que eu realmente fiquei chocado e sem nenhuma reação, porque foi uma coisa totalmente fora de contexto. Qual o sentido dele perguntar qual a religião no meu casamento? Tinham vários convidados da minha família na cerimônia, que são evangélicos, que se sentiram estarrecidos. Da família da minha esposa, que a maioria é católica, também. Todos os convidados, católicos ou evangélicos, ficaram estarrecidos com o tipo de colocação que o padre fez”, afirma o engenheiro.

Padre Ricardo Pimentel Maranguape 2

Foto: Arquivo Pessoal

Outro fato que demonstra a intolerância religiosa do padre foi quando ele pediu a cerimonialista, antes do início do casamento, para retirar todos os cânticos evangélicos da lista de músicas que tocaria na cerimônia. Jeferson estranhou a atitude do padre.

“Antes de iniciar a cerimônia, ele conversou com a cerimonialista e pediu que retirasse todos os cânticos que não fossem da igreja católica. Que o cantor estava proibido de rituar qualquer canto que não fosse da igreja católica. E que ele mandaria parar [a cerimônia], se ele passasse a cantar. Sendo que foi uma escolha do cantor. Nem havíamos pedido para ele colocar cantos evangélicos na lista das músicas. Eu já achei isso muito estranho né? Mas até o momento eu tinha relevado isso”, comenta.

“Pastores, parem de perseguir os católicos”

Jeferson diz ainda que o padre citou pastores. “Ele também falou mal dos pastores, dizendo que os pastores da igreja evangélica tinham que deixar os católicos em paz, que os católicos não estavam atacando os evangélicos. Então assim, ele fez como se fosse praticamente uma guerra santa entre católicos e evangélicos no meu casamento”, relata o engenheiro.

Maria Fernanda relembra que, depois disso, ele abençoou toda a igreja. “Familiares meus disseram que ele não abençoou o noivo. E sinceramente, como eu não sabia nem onde eu estava, eu não vi se ele abençoou o noivo ou não”, relembra.

O noivo descreve o que sentiu no momento do casamento.“Eu fiquei revoltado, não só eu como os padrinhos do meu casamento, minha família, meus pais, todos os convidados. Não teve uma pessoa que não tenha ficado horrorizada com o que o padre falou, inclusive as pessoas mais ligadas à igreja na cidade. Eu fiquei sem reação, sinceramente. Fiquei com vergonha do que estava acontecendo. No momento, eu me senti, inclusive, culpado. Eu me senti culpado por não dizer que era católico e passar pela aquela vergonha. Ele me constrangeu completamente”, comenta.

Padre se tranca no banheiro da sacristia para não ouvir reclamações

Padre Ricardo Pimentel Maranguape 3

Foto: Arquivo Pessoal

Jerferson conta também que o clima ficou tão “pesado” que muitos convidados se manifestaram no momento da cerimônia, pedindo para o padre terminar logo o casamento. Algumas pessoas, inclusive, foram reclamar com o próprio padre após o término da celebração. Para não ouvir as pessoas, o religioso se trancou no banheiro da sacristia.

“Os padrinhos ficaram totalmente alterados, nossos amigos, que são católicos, pediram para ele parar de falar aquilo e que ele encerrasse por ali. Mas ele continuou falando, dizendo que era horrível aquilo e que católico era pra casar com católico”, completa a noiva.

O noivo pensa, inclusive, em procurar a Justiça para expor o caso. “Eu já estou conversando com um advogado. Existe, sim, a possibilidade de acionar a justiça”, disse.

A Comissão de Acesso à Justiça da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB- CE) diz que é necessário verificar com mais detalhes a conduta do padre no casamento realizado e verificar se é o caso de solicitar uma indenização. A presidente da comissão, Renata Rebouças, diz também que o casal pode procurar a Igreja e expor o caso. “Eles podem fazer uma denúncia junto ao Tribunal Eclesiástico e colocar a conduta do padre para o Clero”, afirma Renata.

Pároco da cidade sabia que noivo não era católico e não viu problema na união

Os noivos explicaram que, ao decidirem casar, conversaram com o pároco de Maranguape, Padre Arildo. “A gente já tinha ido falar com o pároco da igreja. Nós conversamos e ele sabia que o Jeferson não era católico e que a família era evangélica. O pároco disse que não havia problemas. Disse que o importante era que educássemos nossos filhos na fé. E disse também que, se um dia o Jeferson quisesse frequentar a igreja, ela estaria de portas abertas para ele”, ressalta Maria Fernanda.

Como o pároco não pôde realizar a celebração porque tinha um casamento em Fortaleza para celebrar no mesmo dia, ele chamou o padre Ricardo Pimentel para substituí-lo e abençoar a união entre Jeferson e Maria Fernanda. A noiva, que frequenta a Igreja Católica desde criança, diz que nunca viu um caso do tipo. “Foi um caso que nunca aconteceu na história de Maranguape e em nenhuma igreja que eu fui. E eu fiquei muito abalada e isso estragou, praticamente, o casamento”, relata.

Procurado pela Redação Web da Rádio Verdes Mares, o pároco Arildo Queiroz disse que essa não é a opinião da Igreja Católica e falou ainda que é normal existir celebração de um casamento misto. “Eu tive com eles ontem e eu pedi desculpas, porque foi o primeiro casamento que o Padre Ricardo, a meu convite, veio fazer e gerou esse problema. Mas não é verdade que um católico com um evangélico não dá certo. Não é verdade. Existem muitas pessoas que estão casadas (um é católico, o outro evangélico ou até um não tem religião). Há algumas coisas a superar? Há, mas dá certo. Tudo vai depender da capacidade do casal de acolher, de compreender, de aceitar um ao outro”, afirma.

O padre também fala que o Papa Francisco prega o respeito entre as religiões. Ouça:

É necessário ter a última versão do Adobe Flash Player para a visualização desse player.

A Redação Web da Rádio Verdes Mares tentou entrar em contato com o Padre Ricardo Pimentel, que celebrou a missa, mas, por dois dias, as ligações não foram atendidas.

ALINE CONDE
Repórter

Notícia

Em greve, UECE e URCA precisam de 422 vagas de professores efetivos

As reivindicações são as que estavam postas na greve em outubro de 2013, como a regulamentação do PCCV e reescalonamento da tabela salarial dos servidores

Por: verdinha às 11:29 de 18/09/2014

Foto: Rádio Verdes Mares

Foto: Rádio Verdes Mares

Os professores da Universidade Estadual do Ceará (Uece) e da Universidade Regional do Cariri (Urca) decidiram voltar à greve, suspensa em janeiro de 2014, nesta quarta-feira (17). Foram quatro meses paralisados e mais oito de suspensão de greve, esperando resposta do Governo do Estado, informou a presidente do Sindicato dos Docentes da Uece (SindUece) Elda Maciel.

Ainda segundo a presidente, o governador Cid Gomes não cumpriu o que disse para a Uece, Uva e Urca. “Concurso para professor: ele não cumpriu. A Urca tinha a especificidade de que tinha que ser chamado professores que não tinham sido chamados no outro concurso. Ele precisava ter feito”, reclama.

Apesar da carência de profissionais docentes, o sindicato entrou em acordo no que diz respeito às vagas dos certames para professor. “Mesmo com todas as carências, nós dividimos o concurso. Parte seria agora em 2014 e a outra parte em 2015. A de 2014 dá 173 professores com contratação imediata. E no próximo ano nós faríamos concurso para cerca de 200 vagas. São mais de 350 professores que a Uece está precisando agora”, completa Elda.

O vice-presidente do Sindicato dos Docentes da Urca Émerson Ribeiro afirmou que o que ficou acordado num seminário com o governador em fevereiro não foi cumprido. “Ele falou que no meio do ano ia lançar o edital. Já passou junho e até o presente momento não lançou. Nós temos 26 professores, de caráter emergencial, para serem nomeados. Isso já está na mesa do governador e ele não assina”. Somando-se o déficit de Urca e Uece, é de pelo menos 422 vagas pendentes.

Reivindicações seguem sem ser cumpridas

As reivindicações, de acordo com o sindicato, são as que estavam postas na greve em outubro de 2013, que ainda são: a regulamentação do Plano de Cargos, Carreiras e Vencimentos (PCCV), reescalonamento da tabela salarial dos servidores, a política de assistência estudantil, concurso para professor efetivo e a reforma e ampliação do campus de Itapipoca.

De acordo com Elda, são esses os pontos emergenciais. “Hoje, nós retomamos a greve para cobrar do Governo do Estado o cumprimento desse acordo. Até agora o governador não cumpriu na integralidade e, hoje, a Uece entrou em greve, mas a Urca já entrou antes de nós”, revela. A Universidade Estadual Vale do Acaraú (Uva) estará em reunião, na próxima semana, também para decidir se entra ou não no embate em pedir que “o governador cumpra a palavra na época da suspensão”, acrescentou a presidente.

As únicas reivindicações do acordo cumpridas foram: o reescalonamento da tabela salarial dos servidores e a política de assistência estudantil, que, dentre os benefícios trazidos, aumentou o valor das bolsas para R$ 400 e a quantidade delas.

Todos os cursos vão paralisar suas atividades, não só na Capital, mas no interior. Segundo Elda, o Sindicato já esteve em Crateús, Itapipoca e Limoeiro e irá para Quixadá, Tauá e Iguatu.

Já a Urca pede a regulamentação do PCCV e os estágios probatórios dos professores. “Mais de 40 profissionais não assinam. Ele regulamentou só algumas partes do PCCV, falta finalizar”, levanta o vice-presidente Emerson Ribeiro. O ponto chave da greve da Urca é o concurso público e a nomeação desses 26 professores do último concurso de 2010. A Urca necessita de 122 vagas para professores efetivos.

Ainda segundo Émerson, na Urca, as atividades serão 100% suspensas. A paralisação também se dará nos cursos e, consequentemente, nas aulas. “Podemos adiantar que as Ciências Biológicas, curso que tradicionalmente tem uma certa resistência, estava presente na assembleia e votou a favor”.

Reitoria diz que pontos dependem de decisão do governo estadual

Foto: Diário do Nordeste

Foto: Diário do Nordeste

Na última terça-feira (16), a Reitoria da Uece emitiu uma nota afirmando que os pontos ainda não cumpridos, prometidos na pauta de compromissos assumida pelo Governo no término da greve, em janeiro de 2014, dependem de decisão do governador, mas se encontram vinculados ao período de proibições eleitorais.

Em nota divulgada nesta quinta-feira (18), a reitoria da Uece se pronunciou acerca da greve. Nela, foi dito que a instituição ainda não foi informada de formalmente pelo Sindicato Docente sobre a extensão e motivo da greve e que, a partir disso, poderão realizar outros pronunciamentos. Além disso, foi dito que lamentavam a decisão pela greve, pois a negociação já havia sido atendida em vários pontos e o que falta já está em negociação ou aprovado para implantação logo após o final do período de proibições decorrentes da lei eleitoral.

Confira o restante da nota:

“Como foi feito anteriormente, o calendário de aulas e os atos estruturantes (colações de grau, vestibular, Semana Universitária etc) não serão suspensos, aguardando-se a regularização das atividades para análise dos impactos e aprovação, no Conselho de Ensino Pesquisa e Extensão-CEPE, das ações reparadoras que se fizerem necessárias.

Disto se deduz que o direito de greve, exercido conforme a lei, continua sendo respeitado, como também continua sendo respeitado o direito de realização de aula daqueles que assim decidirem.

Pela força do compromisso e da inteligência de servidores docentes, servidores técnico-administrativos, estudantes e gestores acadêmicos, a UECE regularizara quase completamente suas atividades, beneficiando-se de incrementos no investimento, no custeio, nos vencimentos dos servidores técnico-administrativo, na política de assistência estudantil, e, sobretudo, na imagem que desfruta junta à sociedade cearense e brasileira. Este é um patrimônio que nenhum de nós pode colocar em dúvida ou em risco”.

 

Notícia

Ailton Lopes afirma que não dá para construir o aquário e resolver a seca no Estado; ouça entrevista

Por: verdinha às 10:59 de 18/09/2014

Ailton-Lopes

Ailton concedeu entrevista a Paulo Oliveira Foto: Mardônio Andrade/Rádio Verdes Mares

O candidato ao Governo do Estado pelo PSOL, Ailton Lopes, afirmou que é impossível resolver o problema da seca, gastando com o aquário que está sendo construído na Praia de Iracema, em Fortaleza. Nesta quinta-feira (18), Ailton foi o último entrevistado da série que a Rádio Verdes Mares promoveu com candidatos ao governo. Na semana que vem, é a vez dos postulantes ao Senado.

“Não dá para você construir um aquário e dar conta de resolver o problema da seca no nosso Estado. Só o custo do aquário é mais do que se gasta, por exemplo, com a Universidade Estadual do Ceará“, afirmou o candidato.

Ouça entrevista na íntegra:

É necessário ter a última versão do Adobe Flash Player para a visualização desse player.

Confira página especial das Eleições 2014

Ao apresentar as propostas para a Saúde, o político afirmou que é preciso propor uma gestão preventiva. “Fortalecer a atenção primária, mesmo sabendo que ela é responsabilidade dos municípios. A gente sabe das baixas capacidades de arrecadação dos nossos municípios. Então, é necessário que o Estado entre com isso, porque você atua na atenção primária prevenindo o adoecimento, ou seja, promovendo condições de saúde”, explica. Ele também criticou as terceirizações dos funcionários da Saúde e defendeu a realização de concursos públicos.

Candidato critica situação das universidades estaduais

Aílton falou sobre a atual situação das universidades públicas estaduais. “Nós temos a Uece, a Uva e a Urca com uma carência de mais de 800 professores. Das 3 universidades, nenhuma teve concurso público em tod a a sua história e 58% do pessoal das três
universidades são terceirizados, inclusive a cima do limite que a lei permite”, esclarece.

Em relação ao aborto, Ailton disse que há muitas mulheres que morrem em clínicas clandestinas. “As mulheres pobres que não podem pagar vão fazer aborto clandestino e isso ocorre, é a realidade. é a quarta causa de óbito materno. São mais de 600 internações diárias por infecção causadas por aborto clandestino e responsável por 25% de esterilidade. Ninguém está dizendo: “saiam por aí e abortem”. Aborto não é método contraceptivo nenhum. Então eu não quero ter filho, eu vou me planejar. As mulheres com maior poder aquisitivo, às vezes, não têm só como pagar e fazer com segurança, como até viajam para países onde o aborto está legalizado”.